Fazer 25 anos é…

Esses dias o colunista da Folha Michel Laub fez um texto sobre como era completar 40 anos de idade. Reparei que o fato de eu estar próxima dos 25 anos, completo só em agosto, já vem suscitando uma série de questionamentos existenciais nas mesas de bar.

Fazer 25 anos é…

– Estar na idade certa para arriscar.
– Ter tempo para correr atrás e corrigir o erro.
– Querer abraçar o mundo.
– Parar de ler as histórias dos outros e trilhar a própria.
– É viajar com os próprios olhos e pés para valorizar o que é meu.
– Sair para o desconhecido como quem foge de casa, como se estivessem abertos todos os caminhos do mundo.
– Ser mais otimista do que pessimista.
– Acreditar que o ser humano ainda tem salvação.
– Ter medo do desemprego.
– Ser eternamente foca diante de profissionais gabaritados.
– Ter disposição, coragem e perseverança para lançar um projeto de gente grande.
– Se sentir desabrigada para estar bem sob o próprio teto.
– Amar como se não houvesse amanhã.
– Procurar momentos para esquecer quem você é, suas prioridades e como você deveria ser.
– Parar de querer encontrar o homem perfeito.
– Valorizar e retribuir aquelas palavras amáveis que podem mudar o seu dia e de outra pessoa.
– Se achar adulta no trabalho, mas adolescente para decisões de relacionamento.
– Não querer casar e nem ter filhos.
– Sair de um show com um bando de desconhecido para comer um lanche no MC’Donalds.
– Ainda ter na porta do quarto um pôster surrado daquele rock star da adolescência.
– Acreditar em horóscopo.
– Ficar muito tempo conectada, mais do que realmente deveria.
– Ainda ser intolerante com certos tipos de música.
– Conversar muito por Facebook e menos ao vivo ou por telefone, o que é um problema.
– Transformar colegas de trabalho e de faculdade em amigos para vida toda.
– Saber detectar pessoas de mal caráter e aprender a nunca entrar no joga delas.
– Antecipar o medo de chegar aos 30, talvez solteira e fora de forma.
– Comer mal, dormir mal e perceber que está na fase de engordar e não conseguir emagrecer.
– Falar muita bobagem e cometer gafes.
– Entrar num bate cabeça sem medo dos marmanjos.
– Sair da balada às 4h para acordar às 7h para ir trabalhar.
– Valorizar os pais e perceber que a batalha deles se reflete em quem você é hoje e no que conquistou.
– Sair definitivamente daquele esquema, escola, cinema, clube e televisão.
– Ver um filme do Godard, falar do Planato Central e coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar.
– Ter certeza que por meio da música o ser humano pode viver para sempre.

E para você? Como é ter 20, 25, 30 ou mais?

Anúncios

12 respostas em “Fazer 25 anos é…

  1. Lembra quando a gente conversava sobre esse tipo de assunto? Aos nossos olhos estaríamos morando no mesmo prédio, porém cada uma no seu apartamento. Eu moraria em um apto acima do seu, para apenas descer um lance de escadas pra te visitar (afinal, eu teria que cozinhar pra você e o Sérgio não morrerem de fome haahah). Engraçado é que nada no que planejamos aconteceu (ainda bem! h\ha). Engraçado mais ainda é que as coisas tomaram um rumo melhor do que podíamos imaginar.

    Fazer 25 anos é…. olhar pra trás e perceber que todas as suas decisões fizeram de você o que você é hoje e que todos os tropeços valeram a pena. Fazer 25 anos é não ter medo de arriscar; é olhar o presente e ver que você sim, se tornou uma mulher.

    Te amo e tenho orgulho de você.

  2. Fazer quase 30 anos anos é perceber o quanto era bom não ter (tantas) preocupações, o quanto estive errado em não me preocupar o suficiente, o quanto as utopias e fantasias não me serviram de muita coisa a não ser decepções. Fazer quase 30 anos é trabalhar finais de semanas e feriados esperando um futuro financeiramente melhor, onde eu e minha senhora possamos viver despreocupadamente (ou quase isso).
    É olhar para trás e pensar que poderia ter feito mais e/ou melhor
    É ficar decepcionado com a própria juventude sem se arrepender de nada.
    É batalhar pelo futuro, nostalgiar com o passado e viver o presente um dia de cada vez, tentando não tropeçar no caminho para algo maior, melhor.

    Enfim, pensar em estar perto dos 30, é perceber como a juventude é burra, porém feliz, em como o mundo é injusto, apesar de sem tudo que nos resta, e tentar fazer do resto de nossas vidas algo melhor, algo além do planejado, algo mais divertido do que só trabalhar, trabalhar parar um dia poder se divertir sem tantas preocupações.

  3. Hoje dia 29 /06 /2014 faço os tão e nao esperados 25 anos e adorei seu texto me indentifiquei banstante pois dúvidas e incertezas ocorrem nesse dia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s